PICHADOR TEVE COMO OBJETIVIDADE, LEVANTAR SUSPEITAS CONTRA SEVERINO RODRIGUES

A violência nas áreas urbanas e rural e o vandalismo nas ruas, são evidências que retratam a realidade de um ambiente aparentemente desprovido de políticas públicas voltadas para segurança e bem estar social; o avanço de medidas e instalações de órgãos responsáveis pela preservação do patrimônio público e segurança pública, adotados pela prefeitura Municipal de São José de Mipibu, mostra que o Município não se enquadra nas estatísticas que resultam no disprovimento por parte dos gestores no tocante a políticas públicas no sentido de combate á práticas criminosas, além do mais, a violação de direitos básicos, capaz de produzir eventos de insegurança e criminalidade, desordem e desequilíbrio social é de responsabilidade do Estado conforme Art 144 da constituição Federal, portanto, podemos concluir que: atos criminosos a exemplo da pichação no muro da casa do pré-candidado a prefeito Severino Rodrigues é resultado da má administração do Governo do Estado – cuja representante governamental tem como base de apoio na Assembleia legislativa, o filho do dono da residência vandalizada, eleito Deputado Estadual nas eleições estaduais de 2022.

Nesse sentido, classificar precocemente o fato ocorrido na última Quarta- Feira (09) na residência do pré-candidado Severino Rodrigues como um possível crime praticado por motivações políticas e utilizar a as redes sociais como instrumento para propagar insinuações sem nenhum respaldo proveniente das instituições policiais – pode ser considerado um equívoco grave ou um crime com características de injúria, calúnia e difamação.

A frase pichada no muro frontal da casa alugada do ex prefeito de Monte Alegre faz referência a um crime de assassinato ocorrido no último dia (05), que vitimou o blogueiro Luiz Dantas de Carvalho Neto, de 41 anos, o crime ocorreu na zona rural do município de Monte Alegre. Atuante politicamente nas redes sociais, Mangabeira, como era conhecido, costumava reportar matérias com temáticas políticas contrárias a gestão do prefeito André Rodrigues, sobrinho de Severino Rodrigues e pré-candidado a prefeitura Municipal de São José de Mipibu.

O ato criminoso pode ser interpretado como uma espécie de retaliação pela morte do blogueiro. É importante ressaltar que de acordo com as investigações da polícia civil, até o momento, ninguém é tido como suspeito; portanto, é perceptível que a intenção do pichador teve como objetividade principal, levantar suspeitas contra o ex prefeito da cidade vizinha, atribuindo a Severino Rodrigues ” ex prefeito de Monte Alegre” a responsabilidade de mandante do crime.

Um dia após o acontecido, um perfil na rede social Instagram fez uma publicação tendenciosa e sem fundamentos plausíveis sobre o ocorrido na casa do ex prefeito Severino Rodrigues; utilizando a frase ” pessoas que estão a muito tempo no poder” o responsável pela publicação caracterizou monocraticame o ato como uma ação criminosa exercida por motivações políticas em detrimento a pré candidatura do ex prefeito de Monte Alegre. Acreditando não ser suficiente usurpar o papel da polícia civil, o perfil ” @avozdoagreste” fez analogias equiparando supostos acontecimentos em anos anteriores afirmando de maneira descabida, que a história estava se repetindo – e o fator crucial para isso, se justificava pelo suposto crescimento político de Severino Rodrigues dentro do Município de São José de Mipibu.

A ideia narrada na publicação informa com clareza os supostos autores da pichação e sua motivação. No meu ponto de vista, a polícia civil deve intimar o responsável pelo perfil á prestar esclarecimentos sobre as insinuações inseridas na publicação via Instagram. Qualquer estudante de direto constitucional utilizaria a matéria como fonte de sustentação oral na intenção de pressionar as autoridades policiais para que se faça um interrogatório afim de descobrir quem são as pessoas que segundo a matéria ” estão a muito tempo no poder e se sentem donos da prefeitura”; esse questionamento é necessário devido o texto insinuar que tais pessoas são às responsáveis pela pichação no muro frontal da casa alugada do ex prefeito da cidade de Monte Alegre.

O mundo virtual é considerado por muitos uma terra sem lei. Ao longo do tempo, com o aparecimento da internet e com o avanço do interesse político por parte da população – essa temática vem sendo discutida por políticos em todo território nacional, isso se dar devido o aparecimento de influenciadores digitais que à utiliza como instrumento reprodutor de notícias, porém, muitas vezes, essas notícias vinculadas por pessoas que se identificam com esse perfil são diagnósticas como ” fake news”, ou seja – notícia falsa.

Ao falar em milícias digitais em um Congresso Brasileiro de Magistrados, em Salvador (BA); o ministro Alexandre de Morais disse: “A internet deu voz aos imbecis “

” Hoje, qualquer um se diz especialista, veste terno, gravata, coloca painel falso de livros e fala desde a guerra da Ucrânia até o preço da gasolina, além de atacar o Judiciário”, afirmou Moraes durante a sua participação no evento.

Em falas recente sobre propagação de notícias falsas sobre política, o ministro na condição de presidente do TSE, afirmou ser preciso aprimorar o combate a notícia falsas com educação e informação ao eleitor e punição ao agressor para garantir eleições livres e periódicas.

Não podemos aplicar o pensamento do ministro do supremo em todos os casos que aparecem na mídia e são classificados por pessoas que pensam divergentes como uma ação anti-democrática e por isso o responsável deve ser punido e como consequência maior ser banido do mundo virtual; afinal, cabe a justiça apreciar o que é correto, com base em leis constitucionais criadas pelo legislativo, por tanto, cada caso é um caso. No caso da publicação do perfil citado no Instagram – parece óbvio que não se trata apenas de uma ” matéria tendenciosa com conteúdo duvidoso, elaborado com características criminais”, é sem dúvidas uma propagação de fake News e pior, com viés político.

No texto existe pelo menos dois pontos a serem observado. O primeiro – se trata do vandalismo, nesse ponto, a prefeitura Municipal de São José de Mipibu tem trabalhado na área, instaurando, aprimorando e investindo na guarda municipal. O segundo faz referência a propagação de fake News, que é fundamental para que pseudos influenciadores digitais não venham se aproveitar da vulnerabilidade das pessoas introduzindo nas mesmas conteúdos textuais cuja finalidade tende a confundir e manipular a opinião pública.

Colaborador

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *