Geração de emprego: conheça os projetos dos candidatos ao governo do Rio Grande do Norte

Levantamento do g1 com base nos programas apresentados pelos candidatos à Justiça Eleitoral aponta projetos e diretrizes defendidos por cada um para o setor.

Geração de emprego: conheça os projetos dos candidatos ao governo do Rio Grande do Norte — Foto: Ricardo Wolffenbuttel/ Secom

Investimento em obras públicas e no turismo, criação de concursos públicos, incentivo aos empreendedores, criação de cursos profissionalizantes. Esses são alguns dos tópicos que aparecem nos programas dos candidatos ao governo do Rio Grande do Norte para a geração de empregos.

g1 analisou os planos dos nove candidatos ao governo do estado em busca de propostas para sobre o tema e listou algumas das principais.

A eleição ocorre no próximo dia 2 de outubro.

Veja abaixo as propostas de cada candidato em ordem alfabética (pelo nome de urna)

Bento (PRTB)

O candidato Bento, do PRTB, propõe no seu plano de governo “trazer indústrias” para o estado e buscar soluções em reuniões com o empresariado, além de buscar desenvolver o comércio.

O candidato diz ainda que vai elaborar um “dossiê” sobre as cidades e ir aos grandes centros “vender a imagem” de que o RN é um bom local para investimentos.

Ele diz ainda que vai buscar a criação de leis que apoiem as empresas de cada região e estimulem a competitividade e que a administração pública deve se preocupar “com as dificuldades tributárias e estruturais das empresas para impedir que postos de trabalhos sejam fechados”. O programa cita ainda a criação de um banco de empregos para monitorar atividades do trabalhador, afim de qualificá-lo sempre que ficar mais de três meses parado por falta de oportunidade.

Capitão Styvenson (Pode)

O candidato do Podemos propõe priorizar compras de insumos para a alimentação de produtores locais, como forma de estimular a ampliação de emprego nas comunidades. O candidato fala também de estimular a indústria da construção civil por meio da desburocratização para obter licenças estaduais, e estimular o empreendedorismo através da capacitação dos micro e pequenos empreendedores, da concessão de microcrédito e inclusão de soluções tecnológicas.

Capitão Styvenson propõe ainda capacitar profissionais, estimulando parcerias com o Sistema S e com o setor privado, “com o objetivo de gerar emprego e renda e mitigar as carências para empregabilidade nos mais diversos segmentos vinculados ao turismo”. Ele ainda fala em promover a conservação e manutenção do patrimônio histórico do estado.

O programa de governo trata também sobre criação de cursos voltados às atividades culturais predominantes no RN para formar mão de obra qualificada e sobre promover os setores criativos. O candidato propõe ainda regulamentar e priorizar o licenciamento ambiental de empreendimentos para “desburocratizar o processo” e tornar possível investimentos que gerem emprego.

Clorisa Linhares (PMB)

Candidata pelo PMB, a candidata Clorisa Linhares cita em seu programa apoio aos empreendedores e diz que vai apoiar arranjos produtivos locais e negócios criativos, como fábricas de materiais esportivos nos presídios, “que estimulem o relacionamento entre as cooperativas, as micro, pequenas e grandes empresas do esporte, gerando oportunidades de emprego e renda”.

A candidata cita ainda que vai realizar parceria com a Federação das Indústrias do RN (Fiern) para traçar um diagnóstico da situação do estado e montar estratégias de curto, médio e longo prazo por setores, “com mapeamento de oportunidades de investimentos e negócios para iniciativa privada”.

O programa trata ainda da criação de uma área de livre comércio ao lado do Aeroporto de Natal, em que será formulada uma “proposta ao governo federal, com base na necessidade de ampliação das divisas nacionais”.

Danniel Morais (Psol)

O programa de Danniel Morais cita, entre os projetos para geração de empregos, a promoção de áreas especiais de tributação, como o incentivo a polos de tecnologia e energia renovável com isenções e vantagens fiscais.

Ele propõe também ampliar programas de ingresso ao mercado de trabalho, sobretudo para jovens e mulheres, e criar centros de apoio a pequenos empreendedores nas principais cidades do estado, ofertando cursos de formação de assessoria jurídica, contábil e de marketing.

O programa ainda promete fortalecer nichos de turismo e a política de capacitação profissional dessa área. O candidato também afirma no programa que pretende aplicar uma política de renúncia fiscal no RN com foco nas pequenas indústrias, aliando essa política à empregabilidade das minorias.

Fábio Dantas (Solidariedade)

O programa de Fábio Dantas, do Solidariedade, prevê 15 iniciativas voltadas para geração de emprego.

Entre as propostas, o candidato promete reduzir gradativamente as alíquotas de cada setor produtivo do RN e que vai incentivar os beneficiários do programa Auxílio Brasil a fazerem cursos técnicos profissionalizantes, tendo acesso posterior a linhas de crédito.

O programa prevê construção de obras para a geração de empregos, como na manutenção da malha rodoviárias, assim como investimento na indústria têxtil. O candidato fala ainda no investimento no turismo, através da interiorização do pontos turísticos, e na criação de um programa para gerar empregos na agricultura, pecuária e na área de minérios.

Fátima Bezerra (PT)

Entre as propostas, a candidata à reeleição diz que vai aperfeiçoar a política fiscal, buscando atração de investimentos para o estado. O programa propõe ainda a ampliação da promoção de projetos criativos e inovadores de políticas de mercado para o setor cultural, com potencial de geração de emprego e renda, por meio da arte, cultura e economia criativa.

Fátima Bezerra diz que vai fortalecer o programa RN Cresce +, com apoio público e privado, com objetivo de geração de mais empregos “e um ambiente oportuno à realização de negócios” no RN.

O programa ainda fala em priorizar ações e projetos, com parceria pública ou privada, para a promoção de emprego para as mulheres e os jovens do RN. O plano de governo também cita fortalecer a política direcionada ao turismo, com ampliação e modernização da infraestrutura, “e a criação de novos produtos, serviços e roteiros notadamente integrados no Geoparque Seridó”.

Nazareno Neris (PMN)

Candidato ao governo do Rio Grande do Norte pelo PMN, Nazareno Neris afirma em seu programa que vai executar um plano de desenvolvimento científico e tecnológico em parceria com as universidades do estado com prioridade para geração de emprego, saúde, educação, entre outras áreas.

O candidato cita no programa também sobre a criação de projetos de geração de emprego e renda dentro de uma política de turismo. Outro ponto apontado no programa é o incentivo a programas habitacionais de implantação de infraestrutura aliado a uma política de geração de emprego.

Rodrigo Vieira (DC)

O programa do candidato Rodrigo Vieira não cita propostas específica para geração de empregos. Entre as propostas gerais, ele fala sobre criação de concursos públicos e a criação de cursos técnicos profissionalizantes para jovens ingressarem no mercado de trabalho.

Rosália Fernandes (PSTU)

A candidata Rosália Fernandes propõe um plano de obras públicas, que “absorva a mão de obra dos trabalhadores desempregados” e que construa os necessários equipamentos sociais, como escolas, hospitais, moradias e estradas, por exemplo.

O programa trata ainda sobre a política fiscal de isenções no estado, garantindo isenções aos pequenos e micro negócios, “e sobretaxando as grandes empresas”.

O plano de governo propõe ainda realizar os concursos públicos necessários para zerar o déficit dos serviços essenciais, como saúde, educação, segurança e administração.

Colaborador

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *