Discordância em apoio a Moro pode rachar União Brasil antes do lançamento oficial

De acordo com a jornalista Malu Gaspar, do Jornal O GLOBO, o União Brasil (UB) já enfrenta sua primeira ameaça de ruptura entre o PSL e o DEM. A colunista revelou que o PSL negocia apoiar o pré-candidato à presidência da República, Sergio Moro (Podemos), enquanto os antigos Democratas não estão de acordo.

No entanto, o partido presidido por ACM Neto possui um menor poder de decisão que a legenda de Luciano Bivar no UB. A negociação entre os dirigentes deu ao ex-partido de Bolsonaro o comando da nova agremiação.

O PSL ficou com a presidência do União Brasil e também com a diretoria financeira, que administra a divisão do fundo eleitoral.

Além disso, o estatuto da nova legenda prevê que as decisões colegiadas, levadas à vice-presidência (Neto) ou à executiva nacional, têm de ser aprovadas por três quintos. Só que metade dos membros dessas instâncias são indicados pelo PSL e têm relação pessoal ou de negócios com Bivar.

Ainda de acordo com Malu Gaspar, Bivar está avançando na negociação com o Podemos de Sérgio Moro para formar uma chapa em que o União Brasil indicaria o vice.

Por outro lado, parlamentares e pré-candidatos do DEM preferem que o partido fique solto para que cada diretório estadual escolha se vai com Moro, com Jair Bolsonaro ou até com Lula, a depender das costuras locais e do desempenho deles nas pesquisas.

Redação

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.